Chulada da Ponte Velha

Chulada da Ponte Velha

“Práticas musicais do Douro e do Minho”

A Chulada da Ponte Velha é um projeto resultante do interesse de vários músicos em retomar as práticas musicais do Douro e do Minho, em especial as chulas dos descantes. O uso das violas tradicionais do Norte de Portugal, da rabeca chuleira e do violão ponteado caracterizam o som da banda, composta por Paulo Silva e Pedro Almeida nas percussões, Napoleão Ribeiro nas violas braguesa e amarantina, Rafael Gomes no violão e viola braguesa, e Nuno Dias na rabeca chuleira. A Lígia Milheiro integra ainda a formação enquanto convidada especial para a monitorização da dança.
São uma das apostas nesta 10ª Edição para o Palco Bricelta dedicado aos novos valores da música folk.

2017

Confirmado.

Peregrino Gris

PEREGRINO GRIS

Oriundos da América Central

Peregrino Gris é um grupo costarriquenho de música folk e celta, fundado em 2001. A sua música está baseada nas correntes de música tradicional da Escócia, Irlanda e Galiza, porém aportando a sua própria visão enquanto oriundos da América Central. Na sua discografia, encontramos três discos datados de 2003, 2005 e 2013, com uma resposta muito positiva do público. Para este ano prepararam um novo trabalho discográfico, apoiado pelo fundo Ibermúsica, que celebra os seus 16 anos de actividade que será apresentado na Europa, e também pela primeira vez em Portugal em Julho. Os Peregrino Gris são compostos por Eduardo Oviedo na gaita de foles, whistles e flauta, Rodrigo Oviedo nos teclados, guitarra e acordeão, Randall Nájera no violino, baixo eléctrico e contrabaixo, e ainda, Juan Carlos Pardo na bateria e percussão.

2017

Confirmado.

Virandeira

Virandeira

Cultura Celta e Galega

Nascidos no bairro de Zamáns, os Virandeira experimentaram uma enriquecedora evolução desde a sua criação em 2010. Da sonoridade melódica dos seus primeiros temas, evocando a cultura celta e galega, à fusão com outros géneros musicais de que é exemplo o rock, a banda soube reinventar-se a cada projecto na procura de novas fronteiras musicais.

O primeiro disco, Sons do Atlântico, remonta a 2012 sendo editado três anos mais tarde Metamorfose. Desde então, a banda tem-se desdobrado em actuações pelo circuito de salas e festivais na Galiza, e é este ano convidada a estrear-se em Portugal no Festival Folk Celta.

Na sua formação encontramos Chema Alonso nas gaitas, David Oitabén na flauta, André Taboada no violino, Roberto González na guitarra, David Casal no baixo, e Kike Carrillo na bateria.

2017

Confirmado.

Keltia

Keltia

Keltia o Musical

Keltia o Musical, conta a história do nascimento da Cultura Atlântica em terras galegas quando a Europa ainda estava sobre uma capa de gelo e a vida humana só era possível em terras de Keltia, na Galiza.

Perante o desejo do mar, os descendentes de Breogán partem em direcção às Terras do Norte, colonizando seis países celtas, o que viria a dar origem à primeira civilização da Europa, os Celtas.

As três deusas irlandesas – Eire, Fotlae e Banba – que viriam a ajudar os netos de Breogán na conquista da Irlanda, viajam até Keltia e a beleza da paisagem, da cultura, da gastronomia faz com que se enamorem por dois princípes celtas. Mas, o amor não chegaria sozinho. A acompanhá-lo maus agoiros, invasões romanas, batalhas…e tudo obrigará os intervenientes desta história a aprender a viver, a lutar pelos seus sonhos.

Com cerca de 40 intervenientes em palco, Keltia o Musical apresenta uma mescla de canto, teatro, declamação, dança e fogo, numa produção a cargo dos reconhecidos Andrea Pousa e Queiman.

2017

Confirmado.

Enraizarte

Enraizarte

“A alma transmontana”

Em 2008, três canalhos iniciaram esta viagem com a formação de festa transmontana, gaita, caixa e bombo. Desde ai até hoje, as raízes estenderam-se dando forma a um grupo de 8 músicos, quase todos vindos dos campos da música erudita, criando uma sonoridade original, complexa, em que o denominador comum é a identidade da música tradicional.

Com uma linguagem que deriva desde a ortodoxia até ao experimentalismo (passando por névoas de jazz, reggae, rock e outros estilos) a criação resulta num estilo eclético e diferenciado, com recriações de temas tradicionais e criações de temas originais sem nunca renegar o que nos une: a alma transmontana.

Os Enraizarte são uma das apostas desta 10ª Edição do Festival Folk Celta e apresentam-se ao vivo numa formação marcada por Marcelo Almeida nas gaitas de fole e voz, Frederico Almeida no saxofone e gaita transmontana, João Dias no baixo, Marcelo Fernandes no piano, guitarra e braguesa, David Pinho na guitarra, Marco Pereira na bateria, Margarida Carvalho e Diogo Martins nas vozes.

2017

Confirmado.