António Zambujo

Do Cante Alentejano ao Fado

Desde cedo, António Zambujo tem traçado o seu percurso entre o Cante Alentejano e o Fado, criando uma sonoridade singular.
Nascido em Beja no ano da Revolução, veio mais tarde para Lisboa onde integrou o elenco do musical “Amália” de Filipe La Féria e já em 2002 edita o seu disco de estreia “O mesmo fado”. Bastaram dois anos para com novo álbum na algibeira encetar a sua primeira digressão internacional sendo distinguido pela Fundação Amália Rodrigues. “Outro sentido” que sai três anos mais tarde tem já distribuição latina, europeia e norte-americana, e abre terreno para “Guia”, um álbum unanimemente aclamado pela crítica com temas escritos por novos artistas da música brasileira e um núcleo de referência nacional.

“Quinto” traz canções como Lambreta ou Flagrante, que projectam António Zambujo para o domínio público, desdobrando-se em duetos, colaborações, composições e autorias cedidas a terceiros. Já em 2014 lança “Rua da Emenda”, o sexto trabalho de originais, com colaboradores habituais como Miguel Araújo, e novas entradas como José Fialho Gouveia ou Samuel Úria. O  músico chega ao número 1 do top de World Music do iTunes francês, sendo galardoado quase em simultâneo com os Globos de Ouro de Melhor Intérprete Individual e Melhor Música, bem como com a Comenda de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

António Zambujo inicia o ano de 2016 a bater todos os recordes possíveis de venda nacionais – 15 concertos nos Coliseus do Porto e Lisboa, com o companheiro de letras e palcos Miguel Araújo.

2016

30 de Julho no Palco principal